fbpx

Digite o que procura

Tags:

Câncer Infanto-juvenil: Fique alerta e reconheça os sinais

18/09/2018
Compartilhar

O câncer é a principal causa de morte por doença em crianças e adolescentes na faixa de 5 a 19 anos no Brasil. Segundo especialistas, uma das alternativas para mudar esse dado é a atenção aos sinais e sintomas, uma vez que em crianças e jovens a doença tem evolução rápida. No entanto, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado proporcionam chances de até 70% de cura.

Câncer Infantil x Câncer Adultos

As diferenças entre os cânceres infantis e de adultos consistem principalmente nos aspectos morfológicos (tipo do tumor), comportamento clínico (evolução) e localizações primárias (origem do câncer). Nas crianças e adolescentes, a neoplasia geralmente afeta as células do sistema sanguíneo, o sistema nervoso e os tecidos de sustentação. Nos adultos, as células epiteliais, que recobrem os órgãos, são as mais atingidas. No câncer em adultos, sabe-se da ocorrência de mutações em decorrência de fatores ambientais, mas no câncer pediátrico, ainda não há estudos conclusivos sobre a influência desse aspecto.

O câncer infanto-juvenil engloba vários tipos de câncer. Os mais comuns são: as leucemias, que representa o maior percentual de incidência (26%), seguida dos linfomas (14%) e tumores do sistema nervoso central (SNC) (13%).

Tipos de câncer mais comuns em crianças e adolescentes

Leucemia

Ataca os glóbulos brancos – leucócitos – encarregados pela defesa do organismo (maior incidência entre 1-4 anos).

Linfoma

Atinge a linfa, componente do sangue que atua na nutrição celular (maior incidência entre 15-19 anos).

Tumor do Sistema Nervoso Central (SNC)

Acomete o encéfalo e medula espinhal, obstruindo o fluxo de líquidos cerebrais (maior incidência entre 5-9 anos).

Retinoblastoma

Ataca a retina (olhos) (maior incidência entre 0-1 anos).

Neuroblastoma

Impacta o Sistema Nervoso Periférico, ocasionando a formação de caroços (maior incidência entre 0-1 anos).

Tumor de Wilms

Ataca os rins (maior incidência entre 1-4 anos).

Osteossarcoma

Agride os ossos, principalmente a área ao redor dos joelhos, e se propaga para os pulmões (maior incidência entre 10-14 anos).

Sarcomas de partes moles

Atinge os músculos (maior incidência entre 15-19 anos).

Sinais de Alerta

Na fase inicial, os sinais e sintomas do câncer infanto-juvenil podem se assemelhar a sintomas de doenças comuns da infância. Logo, é importante sempre avaliar.

palidez,hematomas, sangramentos

Palidez, hematomas ou sangramento, dor óssea

caroços

Caroços ou inchaços – especialmente se indolores e sem febre ou outros sinais de infecção

perda de peso

Perda de peso inexplicada ou febre, tosse persistente ou falta de ar, sudorese noturna

alerações oculares

Alterações oculares – pupila branca, estrabismo de início recente, perda visual, hematomas ou inchaço ao redor dos olhos

inchaço abdominal

Inchaço abdominals

dores de cabeça

Dores de cabeça, especialmente se incomum, persistente ou grave, vômitos (em especial pela manhã ou com piora ao longo dos dias)

dor ossea

Dor em membro ou dor óssea, inchaço sem trauma ou sinais de infecção

fadiga

Fadiga, letargia, ou mudanças no comportamento, como isolamento

tontura

Tontura, perda de equilíbrio ou coordenação

SE ESSES SINTOMAS ESTIVEREM PRESENTES PROCURE UMA AVALIAÇÃO MÉDICA

A Importância do Suporte da Família e Amigos

É na busca pela cura que a criança se depara com inevitáveis mudanças em sua rotina. Passando a vivenciar longas permanências em hospitais, a convivência com pessoas não familiares, a prática de procedimentos desconfortáveis, alterações em sua dieta, distanciamento de familiares, amigos, colégio. O adolescente, por sua vez, percebe as alterações em sua imagem, o que transforma sua maneira de ser, e o faz viver num mundo novo e assustador.

Cada dia de tratamento é um novo desafio também para a família, que se une e se disponibiliza a permanecerem juntos, aprendendo a conviver com as limitações impostas pela doença e pelo tratamento, passando por angústias e incertezas que permeiam esse processo.

Descobrir um câncer não é fácil para ninguém. E ter medo do incerto, é normal. Mas é necessário manter a positividade e ter o suporte e companhia de pessoas queridas durante todo o processo. Ajuda a deixar o ambiente mais leve e diminui a sensação de solidão. Amor, carinho e atenção é o melhor remédio.

Descobrir a doença quando ela ainda está no início representa a possibilidade de qualidade de vida após a cura. A informação e a atenção são nossos maiores aliados na luta contra o câncer.

Prevenção Câncer Infantil | Campanha Setembro Dourado

Referências:

Tags:

Você pode gostar também