fbpx

Digite o que procura

Crescem casos de Zika no Brasil: qual a melhor forma de detectar o vírus?

10/05/2019
Compartilhar

De janeiro a março de 2019, foram registrados 2.062 casos prováveis de Zika no país, 154 casos a mais que o mesmo período do ano passado. A região Norte apresentou o maior número de casos prováveis, 44,2% em relação ao total. Em seguida, aparecem as regiões Sudeste (28,3 %), Centro-Oeste (8,5%), Nordeste (16,6 %) e Sul (2,3%).

 

A doença preocupou a saúde pública em 2015 quando na região nordeste as mulheres grávidas que foram infectadas tiveram bebês com microcefalia. As gestantes ainda correm este risco, em 2019 foram registrados 270 casos prováveis, sendo 50 confirmados.

Não é apenas o Brasil que luta contra o Zika vírus. De acordo com o mapa divulgado pelo CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças), há casos relatados praticamente em toda a América, em alguns países da África, da Ásia e Ilhas do Pacífico.

Mapa mundi de áreas com Risco de Zika

Zika mapa mundi áreas de risco

legenda1Países ou territórios que reportaram casos de Zika (passado ou atual)

legenda2Áreas com baixa probabilidade de infecção por Zika devido à elevação geográfica (acima de 6,5 mil pés ou 2 mil metros de altura)

legenda1Países com mosquito, mas sem casos de Zika reportados

legenda1País ou território sem mosquito transmissor de Zika

Sintomas semelhantes, vírus diferentes

O Zika é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo que transmite os vírus da Dengue e Chikungunya. Os sintomas dessas três arboviroses são muito semelhantes e caracterizam-se por serem doenças febris agudas. O que muda é a intensidade de cada sintoma. A dor de cabeça costuma ser mais intensa na Dengue, enquanto a dor nas articulações é mais intensa na febre Chikungunya e o Zika vírus pode ser assintomático.

Por isso, a análise clínica é insuficiente para dizer qual o tipo de vírus que acometeu o paciente. Em casos suspeitos, podem ser realizados testes sorológicos e de diagnóstico molecular, este último sendo mais rápido e preciso.

Um único teste para detectar Zika, Dengue e Chikungunya

O diagnóstico molecular é um teste in vitro utilizado para análise do ácido nucleico viral em amostras clínicas.

O kit XGEN MULTI ZDC, da Mobius Life Science, faz a detecção qualitativa dos vírus Zika, Dengue e Chikungunya. Com amostras de plasma, sangue total ou urina é possível fazer o processamento do teste molecular em apenas 2 horas e meia.

Este kit diferencia os patógenos simultaneamente em um único teste, com uma única amostra sem reação cruzada. Este tipo de análise é mais sensível, pois é capaz de detectar a presença do vírus nos primeiros dias de doença, enquanto a técnica sorológica só é aplicada após 7 dias da contaminação.

Sobre a Mobius

Com foco na distribuição de produtos tecnologicamente avançados, Mobius Life Science faz parte de um grupo sólido de empresas com mais de 25 anos de atuação e grande expertise no mercado da saúde. Desenvolve e comercializa produtos destinados ao segmento de medicina diagnóstica, fornecendo kits para extração de ácidos nucleicos, sorologia e também para diagnóstico molecular in vitro de doenças infecciosas, oncologia e genética. Mais informações: http://mobiuslife.com.br ou (41) 2108-5296.

Tags:

Você pode gostar também