fbpx

Digite o que procura

PR24 no Hospital Moinhos de Vento: diagnóstico mais rápido e assertivo auxilia conduta médica

04/08/2022
Compartilhar

No inverno, é comum haver um aumento nos casos de síndromes respiratórias. As constantes mudanças de temperatura e o tempo seco favorecem o desenvolvimento dos quadros.  As doenças mais comuns e que costumam levar as pessoas a buscarem atendimento médico são a rinite alérgica, sinusite, bronquite, gripe e pneumonia. Para minimizar os impactos da alta demanda, o Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre (RS), conta com uma solução para dar mais celeridade à detecção dos patógenos responsáveis por cada infecção: o PR24 Flow Chip da Mobius.

De acordo com dados do Boletim Infogripe, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), divulgado no início de agosto, já são 209.575 casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) registrados em 2022. Do total, 4,5% são Influenza A, 0,1% Influenza B, 9,1% vírus sincicial respiratório (VSR) e 79,4% SARS-CoV-2 (COVID-19).

Em Porto Alegre, onde fica o Hospital Moinhos de Vento, a Secretaria Municipal de Saúde informou que os hospitais da região têm registrado um aumento na procura por atendimentos em emergências, sobretudo nas pediátricas. Por isso, o Sistema Único de Saúde (SUS) inaugurou 40 leitos infantis para reforçar o atendimento em um momento de aumento de casos de doenças respiratórias. As infecções podem ser simples, com sintomas semelhantes aos da gripe, ou ter complicações mais graves que provocam mortes de inúmeros pacientes em todo o mundo.

O que são as SRAGs?

As Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAGs) são complicações virais que costumam ter sintomas semelhantes ao da gripe, associados à dispneia (falta de ar), desconforto respiratório e à baixa oxigenação no sangue. Geralmente, as SRAGs causam hospitalização e, caso evoluam para quadros mais graves, pode levar a óbito. Essas síndromes podem ser causadas, por exemplo, pelos coronavírus, vírus influenza, vírus sincicial respiratório (RSV), parainfluenza, adenovírus, entre outros.

Nos últimos anos, os principais vírus responsáveis por hospitalizações e óbitos foram o SARS-CoV-2 (que causa a Covid-19), Influenza H1N1 e o Vírus sincicial respiratório (RSV) em crianças. Somente o RSV é responsável por 70% das bronquiolites e até 40% das pneumonias. Já os adenovírus e rinovírus estão relacionados à exacerbação da asma, à bronquite e à pneumonia. Além disso, infecções bacterianas importantes, como a pneumonia, podem ser confundidas com a Covid-19 por apresentarem sintomas semelhantes. Por isso, é fundamental contar com a agilidade no diagnóstico para diferenciar os quadros.

E como o Hospital Moinhos de Vento reduziu o tempo de prognósticos e internação?

Com o objetivo de oferecer um diagnóstico mais rápido e preciso, a Mobius Life Science disponibilizou ao mercado o PR24 Flow Chip, maior painel respiratório do mercado. Ele foi implementado no Laboratório de Patologia, Genética e Biologia Molecular do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre (RS), e tem contribuído para a otimização da rotina hospitalar.

“O Laboratório de Genética e Biologia Molecular, motivado pelo grande número de casos de infecção pelo coronavírus, fechou esta importante parceria com a Mobius. Além de identificar o vírus causador da Covid-19, esse equipamento permite a pesquisa de vários outros agentes infecciosos comumente relacionados às infecções de vias aéreas, como diagnóstico diferencial”.

Francine Hehn de Oliveira
Coord. médica do Laboratório de Patologia, Genética e Biologia Molecular do Hospital Moinhos de Vento

Em um cenário de circulação simultânea de várias doenças respiratórias, o PR24 Flow Chip orienta as medidas para prevenção da transmissão patogênica, permitindo um tratamento mais assertivo e proporcionando um melhor prognóstico para o paciente. Além disso, é possível reduzir os riscos de reação adversa e os custos hospitalares.

As principais vantagens trazidas pelo painel respiratório ao Hospital Moinhos de Vento são a agilidade, a precisão do diagnóstico e a queda da resistência a antibióticos.

“O painel modificou nosso perfil de atendimento e, com ele, conseguimos organizar melhor os leitos, podendo separar as crianças de acordo com os vírus identificados, determinar e dar nome aos vírus e otimizar os espaços. Dependendo do vírus, podemos dar uma ideia do tempo de evolução para a família, tranquilizá-la, fazer o diagnóstico nominal e não apenas o sindrômico. A criança deixa de ficar refém das trocas de antibióticos e não cria resistência a eles”.
João Krauzer
Chefe de Pediatria do Hospital Moinhos de Vento

1 painel, 24 patógenos detectados

O PR24 Flow Chip da Mobius detecta alguns vírus que estão associados a quadros de pneumonias, tais como influenza A e B, parainfluenza 1, 2 e 3, vírus sincicial respiratório e adenovírus, que podem conduzir ao aumento do tempo de internação dos pacientes.

“Por se tratar de um teste com alta sensibilidade, possibilita a detecção dos patógenos já nos primeiros dias de infecção em pacientes sintomáticos e assintomáticos. Isso é de extrema relevância, uma vez que o diagnóstico rápido e preciso auxilia a equipe clínica na condução de um tratamento mais direcionado e eficiente”.
 Carla Karusky
Consultora comercial da Mobius

Todos os reagentes necessários para o diagnóstico são fornecidos em um único kit e o painel detecta 24 patógenos causadores de síndromes respiratórias em uma única amostra de swab nasofaríngeo, aspirado nasofaríngeo ou lavado broncoalveolar de adultos, crianças e recém-nascidos, oferecendo precisão, especificidade e alto desempenho. O diagnóstico molecular ocorre em poucas horas e fornece laudos completos com análise realizada pelo próprio equipamento.

Tags: